Regulagem de oitavas e ajuste de afinação:

Publicado: 08/02/2011 em Dicas
Tags:

Essas expressões se equivalem e se referem ao mesmo problema, que é o do Baixo não afinar em toda a estensão do braço, caso não esteja regulado.
O princípio da afinação funciona da seguinte forma: como medida padrão, o Baixo deve ter a mesma distância do capotraste ao 12º traste e daí até o carrinho da ponte, exatamente na parte em que a corda se apóia. Dessa forma, o 12º traste marca, precisamente, a metade do espaço entre esses dois pontos.
Em um instrumento, não é apenas isso que determina o quanto eficaz será a afinação dele. Fatores como medidas bem calculadas entre os trastes, boa colocação e a qualidade do hardware definem a honestidade nesse quesito. Um baixo bem feito e calculado – mas que não produz uma afinação perfeita – deve ser regulada variando o espaço entre o nut e o saddle.

Como detectar e corrigir um desajuste na afinação?

Produza um harmônico no 12º traste com a corda solta a ser testada. Com a ajuda de um tuner, que é um afinador eletrônico, afine-o na nota correspondente dela mesma. Em seguida, toque-a no 12º traste, só que, dessa vez, pressionando-a.
Se a nota tocada e o harmônico estiverem exatamente na mesma altura, a afinação estará perfeita. Entretanto, se ela estiver mais alta do que ele, significa que a distância entre o nut e o saddle está curta. Deve-se aumentá-la, puxando-se o saddle para trás. Mas, se ocorrer exatamente o contrário – nota mais baixa que o harmônico – , é porque o espaço entre nut e saddle está muito longo e deverá ser encurtado levando o saddle para frente. É claro que a precisão do tuner tem de ser perfeita para não compromete o julgamento e a regulagem. Tal ajuste pode ser conseguido apenas julgando a afinação pelo seu ouvido. Certas frequencias, porém, podem passar despercebidas. A altura das cordas no nut e na ponte também pode comprometer o julgamento… Elas não podem estar demasiadamente altas nem encostadas no 1º traste.
Essas dicas servem apenas para pequenos reparos em instrumentos regulados.
Se ocorrer a troca do encordoamento, por exemplo, é necessário fazer um acerto.
Do contrário, recomenda-se procurar um luthier para os devidos ajustes.  Um julgamento errado por parte do músico, ou mesmo uma precipitação, pode agravar o problema. É importante lembrar que todos esses consertos só devem ser feitos qdo o instrumento estiver com encordoamento novo colocado no momento do ajuste – e de boa qualidade, pois, quando as cordas envelhecem, vão perdendo a afinação por toda a escala. A pressão que se aplica com os dedos sobre as cordas, no momento de teste de afinação, deve ser a mesma de qdo se toca o instrumento para não haver um julgamento errado.
Um ajuste inadequado pode gerar diferenças na afinação.

Um Abraço…

Léo Werneck – The Bass…

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s